Formulação de lopinavir/ritonavir para uso pediátrico, de concentração reduzida, já está disponível no Brasil

Já está disponível no Brasil a formulação para uso pediátrico do antirretroviral (ARV) lopinavir/ritonavir, com menor concentração dos princípios ativos. Os comprimidos contêm 100mg de lopinavir e 25mg de ritonavir, enquanto que a concentração do comprimido original, para uso em adultos, é de 200mg de lopinavir e 50mg de ritonavir. O comprimido é o primeiro e único inibidor da protease (IP) formulado para tratamento de crianças infectadas pelo HIV.

Estima-se que 2,1 milhões de crianças vivem com HIV/Aids em todo o mundo. Atualmente o comprimido com menor concentração está aprovado em 120 países, entre Europa, África, Ásia, América Latina e América do Norte. O laboratório produtor deste ARV pretende receber a aprovação desta versão do medicamento nos 155 países ao redor do mundo, onde a versão para adultos já é aprovada.

O novo comprimido com concentração reduzida proporciona novos benefícios para crianças infectadas pelo HIV, não disponíveis nas versões anteriores (comprimidos adultos, cápsula gelatinosa ou solução oral), facilitando a administração do medicamento, sem prejuízo da eficácia. O comprimido de baixa concentração é mais fácil de ser administrado às crianças do que a solução oral.

Ele pode ser administrado com ou sem alimentação, o que dá aos pacientes maior flexibilidade para seguir o tratamento, enquanto que as versões em cápsula gelatinosa ou solução oral devem ser administradas com alimentação. Outra vantagem é que os comprimidos não requerem refrigeração, podendo ser armazenados à temperatura ambiente, diferente das formulações em cápsula gelatinosa ou solução oral, que necessitam ser armazenadas sob refrigeração.

"A epidemia do HIV/Aids continua provocando um efeito devastador em milhões de crianças ao redor do mundo, especialmente para aquelas que vivem em regiões com recursos limitados", afirma a médica Clarice Sztajnbok, diretora médica do laboratório Abbott Brasil. "A nova formulação, de menor concentração, é outro exemplo do nosso contínuo compromisso em trazer avanços no tratamento e assistência à comunidade que vive com HIV".

A Organização Mundial de Saúde recomenda lopinavir/ritonavir como tratamento preferencial para crianças que não mais respondem a outros tratamentos antirretrovirais. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária recomenda este ARV para o tratamento inicial de crianças com HIV ou para crianças já tratadas anteriormente com outros medicamentos antirretrovirais.

HIV em crianças - Segundo UNAIDS, em 2008, cerca de 2,1 milhões de crianças abaixo de 15 anos de idade vivem com HIV em todo o mundo; a grande maioria - cerca de 90% das crianças com HIV - vivem na África sub-saariana. Em 2008, cerca de mais 430.000 crianças abaixo dos 15 anos foram infectados pelo HIV e 280.000 abaixo dos 15 anos morreram da doença. Dos 7400 novos casos da doença por dia em 2008, 1.200 foram de crianças abaixo dos 15 anos de idade.

Fonte: Maxpress.net
Voltar